Vendas do varejo catarinense crescem quase 13% em junho

Foto: Divulgação/Fecomércio SC

Santa Catarina fechou o primeiro semestre de 2017 com saldo positivo no comércio varejista e destaca-se como o estado com o maior volume de vendas no Brasil. Conforme a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada na terça-feira (15) pelo IBGE, em junho, o setor manteve a tendência de recuperação e registrou crescimento de 12,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior, a oitava alta consecutiva. Em termos de receita nominal, a variação foi positiva em 11,2%.

De acordo com o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, este resultado está ligado à consolidação do mercado interno e o início da retomada do crédito e da renda em Santa Catarina. “A base de comparação é baixa, por que o setor estava em uma situação crítica em 2016, mas os resultados trazem alívio”, diz. “O segundo colocado, o estado do Alagoas, teve resultado positivo de 7,2%, quase a metade do desempenho do estado, o que reforça que estamos na rota de um crescimento sustentado”, afirma.

A alta foi puxada pelo segmento de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (30,2%). Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo também tiveram crescimento expressivo (24%), com a desinflação dos alimentos. Por outro lado, houve forte queda no segmento de móveis (25,6%) na comparação com junho de 2016.

No acumulado de 12 meses, o volume de vendas do comércio varejista restrito (sem atividades de material de construção e veículos) teve variação de 5,5%, acima dos 4% registrado no mês passado – a taxa mais alta desde janeiro de 2013. Quanto à receita nominal, a variação de julho de 2016 a junho de 2017 foi de 11%, também acima do resultado de 10,4% de maio.

Confira o gráfico.

Crescimento no varejo nacional

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, as vendas no varejo nacional apresentaram avanço de 1,2% em junho, frente a maio de 2017, sendo a terceira taxa positiva consecutiva na comparação. Os setores que contribuíram para o resultado foram os de móveis e eletrodomésticos (2,2%), tecidos, vestuários e calçados (5,4%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico – lojas de departamento, ótica, joalheria e outros (2,7%).

Na comparação com igual mês do ano anterior, o comércio varejista avançou 3% em junho de 2017, com resultados positivos em todas as atividades pesquisadas. A gerente da pesquisa do IBGE, Isabella Nunes, explica o motivo do crescimento dos indicadores. “O resultado foi devido às comemorações das datas festivas de junho”, diz.

Segundo a especialista, o resultado foi uma combinação de fatores. Além do destaque para a demanda reprimida, em um quadro de ligeira redução da taxa de juros, houve um movimento de estímulo de promoções por parte das empresas de varejo. “Foi eliminada a perda de 1,1% registrada em março último, porém o total do varejo está 8,4% abaixo do nível recorde alcançado em novembro de 2014”, conclui.

Com informações do IBGE e da Fecomércio SC