Comércio varia 0,3% em 12 meses e reverte tendência de queda

O comércio varejista reverteu, em outubro, a tendência de queda registrada desde abril de 2015, no acumulado em 12 meses. Esse indicador variou 0,3%, influenciado pelas vendas de artigos farmacêuticos (0,3%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,7%), que contemplam vendas online de lojas de departamento. As informações são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada hoje pelo IBGE. A PMC destacou ainda que, se por um lado o comércio varejista caiu 0,9% frente a setembro, por outro, cresceu 2,5% diante de outubro de 2016, a sétima taxa positiva consecutiva.

De acordo com a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, esses resultados permitem identificar uma recuperação mais nítida no comércio varejista, apesar da queda na comparação com setembro: “Uma explicação possível é os consumidores terem postergado suas compras, uma vez que outubro antecede um mês marcado pelas promoções”.

O varejo ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e materiais de construção, também reverteu um longo período de queda no acumulado em 12 meses, com crescimento de 1,4%, o primeiro resultado positivo desde junho de 2014. Isabella ressalta que as vendas de materiais de construção e de veículos estão crescendo dois dígitos desde agosto: “É uma melhora motivada pelo ganho de renda das famílias, que podem fazer reformas em seus domicílios. Enquanto a alta na venda de veículos é decorrência de melhores condições de financiamento para esse produto”.

Com informações do IBGE