Ecossistema de Tecnologia e Inovação de Tubarão gera oportunidades

Tubarão está entre as cidades de Santa Catarina que estão em busca de seu lugar ao Sol no fortalecimento de um ecossistema de tecnologia. A partir da implementação do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação pela prefeitura em parceria com empresários locais que atuam no setor e instituições de ensino, uma série de atividades são promovidas para estimular o sistema.

Entre as ações, destaca-se a criação de um Fundo Municipal de Inovação e a Política Municipal de Incentivo à Ciência, Tecnologia e Inovação. A intenção é posicionar Tubarão como um hub estratégico do sul do estado. Atualmente a região sul é uma das que mais cresce, com 260 empresas de TI. O faturamento do setor de tecnologia no Sul é de R$ 684 milhões e seu polo tecnológico é o quinto maior no estado. Os dados são da pesquisa ACATE Tech Report, realizada pela Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), em parceria com a Neoway.

Há, inclusive, um planejamento visando o crescimento sustentável em longo prazo, chamado de “Tubarão 180 graus”, de acordo com o gerente de inovação e empreendedorismo da Prefeitura Municipal de Tubarão Giovani Bernardo. A proposta é de que até 2050 – momento em que a cidade irá completar 180 anos – sejam realizadas ações para otimizar a qualidade de vida dos cidadãos e transformar Tubarão, em definitivo, como uma das smart cities de destaque no sul do Brasil.

Dentre as iniciativas capitaneadas por empreendedores está a da OSTEC Business Security, sediada em Tubarão e especializada em soluções digitais para a segurança da informação, que está presente em todo território nacional. Em busca de profissionais qualificados para atuar em sua empresa, Cassio Brodbeck, CEO da OSTEC, desenvolveu uma vertical interna para a promoção da educação digital. Em parceria com outras entidades, serão oferecidos futuramente a adolescentes e jovens treinamentos gratuitos na área de tecnologia, em especial segurança da informação.

A intenção é estimular o interesse de profissionais formados ou em formação no desenvolvimento de softwares e hardwares, fortalecendo ainda mais o ecossistema de inovação e tecnologia. “A vertical surgiu de uma necessidade interna para acelerar o aprendizado dos times de suporte. Coincidiu com um momento da OSTEC em desenvolver, no segmento da segurança, os profissionais da região. Essa iniciativa poderá auxiliar as possibilidades de contratação e empregabilidade das pessoas que participarem dos treinamentos”, afirma Brodbeck.

Outras empresas locais também apontam o ecossistema de TI e a proximidade com a universidade como um dos diferenciais de Tubarão. Este é o caso da Trier Sistemas, especializada em softwares para gestão de farmácias. Com mais de 25 anos de existência, a Trier mudou a sede de Braço do Norte para Tubarão em virtude dos diferenciais da cidade, de acordo com o gerente de desenvolvimento de software e de suporte técnico da empresa, Fabio Darela.

Em mais de duas décadas, foi possível acompanhar as transformações no setor tubaronense de tecnologia. “Percebemos neste tempo que a região está mais conhecida, que algumas empresas estão despontando. Os fornecedores têm mais interesse em atender as empresas locais por conta do desenvolvimento do ecossistema”, explica ele. Para Fábio, os diversos pontos turísticos também atraem novos empreendedores e profissionais. “Quando contratamos alguém de fora é mais fácil trazer para Tubarão, pelos atrativos locais e pela qualidade de vida”.

Outra empresa que também decidiu tornar Tubarão a cidade para sua sede é a WMW Systems, focada na criação de softwares para automação da força de vendas. Atualmente, grande parte dos cerca de cinquenta profissionais que compõem o quadro de colaboradores cursaram graduação na Unisul, motivo pelo qual a presença da instituição de ensino no mesmo município é estratégica.

De acordo com o coordenador de marketing da WMW Marcos Marcon é mais frequente a presença de um perfil do profissional de tecnologia com veia empreendedora na cidade. “O novo modelo de negócio, baseado na ideia de startup, traz um diferencial. Estamos vendo esses profissionais mais prontos para o mercado de trabalho, ainda que a profusão de startups não seja uma característica exclusiva de Tubarão. Por conta desse fator, passamos menos tempo tendo problemas para preencher postos de trabalho”, conta ele.

Segundo Marcos, há aproximadamente cinco anos era muito difícil conseguir um candidato que preenchesse todos os requisitos para uma vaga. “Hoje ainda é complicado, porém menos que antes. Ao mesmo tempo que identificamos essa dificuldade, para quem é de fora e busca recolocação no mercado é uma oportunidade”, enfatiza.

Marcos detalha que os eventos do setor tecnológico promovidos nos últimos anos na cidade também ampliam as transformações no segmento. “Quando participamos de iniciativas como o Startup Weekend percebemos isso. Esse engajamento em torno da tecnologia é muito legal. Há paixão no que se faz. E é essa a nova leva de empreendedores que vai fazer a cidade crescer e chegar onde precisa chegar. Inclusive para empresas que já estão consolidadas no mercado, é um outro tipo de socialização. Os eventos aproximam todos”, finaliza.

Com informações da Acate