Aplicativo de startup catarinense auxilia trabalho dos agentes de saúde

Foto: Divulgação

Mais de 11 mil agentes comunitários de saúde do setor público utilizam um aplicativo desenvolvido em Santa Catarina para auxiliar nas visitas domiciliares. A ideia surgiu da startup ePHealth, que criou uma ferramenta capaz de armazenar o cadastro dos pacientes e enviar diretamente para o Ministério da Saúde, de forma rápida e segura. “No Brasil, a coleta de dados dos pacientes de Atenção Primária em Saúde é realizada por meio de um papel e somente depois cadastrada no sistema“, explica Pedro Marton Pereira, CEO da ePHealth. “O aplicativo permite que esse processo seja feito de forma automática, reduzindo tempo e custos com papel”.

Além disso, destaca Pereira, através do smarthphone o profissional consegue ver no mapa onde estão as famílias que ainda necessitam de visita. Atualmente, o aplicativo catarinense abrange cerca de dois mil municípios, totalizando mais de 460 mil vidas já foram acompanhadas e um milhão de visitas já foram realizadas.

A ePHealth nasceu há um ano e meio para atender a necessidade do Sistema Único de Saúde (SUS), que realiza grandes projetos de saúde preventiva, mas não tinha a ferramenta ideal para auxiliar nos programas. A startup catarinense faz parte do programa de incubação do MIDI Tecnológico, incubadora gerida pela Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate) e mantida pelo Sebrae/SC, além de ser acelerada pelo programa Darwin Starter, uma das melhores aceleradoras do país. A empresa também recebeu o prêmio do Ministério da Indústria e Comércio como startup de maior impacto social no Brasil.

Com informações da ACATE