Reclamações contra empresas do setor de telecomunicações caem 5,7% em outubro, diz Anatel

O número de reclamações de usuários contra prestadoras dos serviços de banda larga fixa, de telefonia móvel, de telefonia fixa e de TV por Assinatura na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou queda de 5,7% em outubro, na comparação com o mês de setembro. O total de queixas registradas foi de 277,6 mil,  16,9 mil a menos que no mês anterior. A telefonia móvel apresentou redução de 16,8 mil reclamações (-11,3%), seguida da telefonia fixa com menos 2,4 mil queixas e TV por Assinatura com diminuição de 200 reclamações (-0,7%). O único serviço de telecomunicações que apresentou crescimento nas reclamações dos usuários foi o de banda larga fixa, aumento de 2 mil reclamações (+4,8%).

Operadoras de telefonia móvel

Na telefonia móvel, os percentuais de redução em outubro nas reclamações por empresas ficou assim dividido:

  • Vivo: queda de 9,6 mil queixas (-24,7%)
  • Claro: queda de 2,4 mil (-8,4%)
  • Tim: queda de 2 mil (-3,9%)
  • Oi: queda de 900 reclamações (0,9%)

Na telefonia fixa, a Vivo também apresentou destaque na redução do volume de queixas com 1,6 mil reclamações (-8,1%), seguida da Oi com menos 800 queixas (-2,1%) e da NET com menos 400 reclamações (-4,1%).

Reclamações por tipo de serviço

O levantamento da Anatel também apresenta quais os serviços prestados foram mais citados nas reclamações feitas na agência em outubro.

Na telefonia móvel pós-paga, o maior conjunto de queixas foi relativo à cobrança (49,2%). Na sequência, ofertas e promoções (9,6%); e qualidade, funcionamento e reparo (9,2%).

Cobrança também foi o maior motivo de reclamações na telefonia fixa (41,1%), seguido de qualidade, funcionamento e reparo (20,76%) e de cancelamento (7,8%).

Na telefonia móvel pré-paga, as maiores reclamações foram sobre créditos (47,4%), ofertas e promoções (15,7%) e qualidade, funcionamento e reparo (12,2%).

Na TV por Assinatura, cobrança foi mais da metade das reclamações registradas no mês de outubro (50,5%), seguida de qualidade funcionamento e reparo (9,7%) e ofertas e promoções (9,35%).

Já qualidade, funcionamento e reparo formaram o maior conjunto de reclamações recebidas pela Agência Nacional de Telecomunicações contra empresas de banda larga no mês passado (45,0%), seguido de cobrança (23,6%) e instalação, ativação ou habilitação (9,44%).

Reclamações contra TV por Assinatura

Na TV por Assinatura, nos grupos acompanhados individualmente pela Anatel, apenas a Oi com menos 700 reclamações (-15,4%) apresentou redução em outubro quando comparado com o mesmo mês do ano passado. O aumento de 300 queixas relativa ao Grupo NET/Claro (+ 1,8%) foi puxado pela NET com mais 1,9 reclamações (16,6%), enquanto a Claro registrou menos 1,6 mil reclamações (-27,3%). Por sua vez, a Vivo teve aumento de 200 reclamações (9%) e a SKY somou mais 100 reclamações (0,2%).

Já o aumento de reclamações na banda larga fixa foi puxado pela prestadora NET com 1,6 mil queixas (+15,5%), a Vivo registrou menos 700 reclamações (-5,3%) e a Oi menos 500 reclamações (-2,7%).

Com informações da Anatel

Veja as marcas indicadas no IMPAR 2017 na categoria Operadora de Celular