Mais educação é mais renda, defende presidente da FIESC em lançamento de campanha

Foto: Divulgação FIESC

“Sabemos o quanto o estudo impacta positivamente na vida das pessoas. Um ano a mais de escolaridade aumenta em 15% a renda de um brasileiro. Se ele tem o curso de graduação completo, esse impacto é de 47%, como mostra estudo da Fundação Getúlio Vargas. Mais educação é igual a mais renda e, portanto, mais qualidade de vida”, frisou o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, ao lançar campanha estadual para escolarizar catarinenses que ainda não concluíram a educação básica, nesta quinta (27), em Blumenau. A iniciativa do Movimento SC pela Educação é inédita no País e reúne as federações da indústria (FIESC), do comércio (Fecomércio), da agricultura (Faesc) e dos transportes (Fetrancesc), em conjunto com a Undime-SC e a Secretaria Estadual de Educação para a oferta em rede de educação para jovens e adultos.

“Ao mesmo tempo, é, também, mais desenvolvimento para as empresas e para o Estado. Por isso, educação é o novo nome do desenvolvimento. Por isso, é preciso olhar para os 725 mil trabalhadores catarinenses que ainda não concluíram a educação básica”, completou Côrte. Ele lembrou ainda que a movimentação de trabalhadores nos últimos anos também reforça a importância dos estudos. Os que possuem escolaridade básica completa encontram emprego antes.  Em 2017, de janeiro a maio, do total de novas vagas criadas no Estado, 20.157 foram ocupadas por pessoas com escolaridade básica completa e apenas 2.572 com escolaridade básica incompleta. “Os números confirmam que os trabalhadores qualificados são os últimos a serem desligados e os primeiros a serem admitidos quando a economia volta a aquecer”, destacou Côrte.

O encontro foi realizado no Espaço de Educação Maker do SESI e contou com a participação de representantes da FIESC, FECOMÉRCIO e Fetrancesc. As entidades envolvidas assinaram termo de cooperação oficializando a parceria para ampliar a oferta de educação de jovens e adultos no Estados. “É por meio de iniciativas como esta que alcançaremos resultados mais favoráveis para a educação de jovens e adultos de Santa Catarina”, afirmou o presidente da FIESC. A partir de uma plataforma de geolocalização disponível no site www.scpelaeducacao.com.br, será possível a qualquer estudante encontrar a escola de educação de jovens e adultos mais próxima. Todas as escolas ofertantes serão indicadas nessa plataforma. São oferecidos cursos em 201 municípios, somando 421 estabelecimentos em que as aulas são realizadas.

A campanha foi lançada durante o Seminário “Educação de Jovens e Adultos: construindo um ecossistema para uma atuação em rede”. Segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), de 2015, Santa Catarina possui mais de 2,2 milhões de trabalhadores formais e 724,8 mil deles não concluíram a educação básica (33%). A volta aos bancos escolares ainda é um desafio no Estado, que registra uma taxa significativa de jovens que não concluíram o ensino médio aos 19 anos (32,3%). São estes jovens que, mais tarde, buscam a educação de jovens e adultos para concluir o ensino básico. Só na indústria, um terço dos trabalhadores tem entre 15 e 29 anos.

 

Com informações da FIESC