Calçado “made in” Santa Catarina aposta em design como diferencial

Foto: Divulgação/FIESC

O polo de São João Batista, principal núcleo calçadista de Santa Catarina e quarto maior do Brasil, responde por 67% dos quase 22 milhões de pares produzidos no estado. Os dados foram apresentados na noite desta terça-feira (12) pelo presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, durante a abertura da Semana da Indústria Calçadista Catarinense (SEINCC), em São João Batista. “A região não se diferencia apenas pela produção, mas pelo design e pela qualidade de seus produtos”, ressaltou.

Atualmente, o Brasil é o terceiro maior produtor e o quarto consumidor mundial de calçados e a região Sul, onde esta indústria iniciou suas atividades no país, é hoje responsável por 22,6% da produção nacional, com Santa Catarina respondendo por quase 7 mil empregos. Promovida pelo Sindicato das Indústrias de Calçados de São João Batista, a Semana da Indústria Calçadista Catarinense, a SEINCC acontece até o dia 14. São 85 expositores de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo que apresentam as tendências de moda em materiais e componentes para calçados, no Centro de Eventos do município.

Polo quer se consolidar como referência

Na abertura do SEINCC, o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados de São João Batista, Almir Manoel Atanásio dos Santos, destacou o esforço do setor para consolidar a região como referência em moda feminina. “A feira vende moda e tecnologia, o que já está sendo reconhecido”, disse, lembrando do papel do SENAI para formação de trabalhadores para o setor, o que no atual cenário é fundamental, já que a inteligência das empresas agora está na criação e na forma de comercializar o produto.

Glauco José Côrte citou São João Batista como um exemplo da força da indústria catarinense. “Apesar da crise e das dificuldades econômicas, a indústria daqui não deixou de trabalhar um dia sequer”,disse. ”Por isso, Santa Catarina é o segundo Estado que mais cresceu de janeiro a junho no País, conforme dados do Banco Central”, afirmou o presidente da FIESC, ressaltando os números que diferencia Santa Catarina dos demais estados e a determinação da da entidade em apoiar a indústria calçadista de São João Batista. “Queremos compartilhar o esforço pelo crescimento, pela geração de receita e renda, dando dignidade aos trabalhadores, pois o que confere cidadania a uma pessoa não é o título de eleitor, mas a carteira de trabalho”, concluiu.

Com informações da FIESC